voltar

TRANSPORTE E LOGÍSTICA: 10 DICAS ESSENCIAIS PARA OTIMIZAR CUSTOS

16.09.2020
Soluções Transporte e Logística MDS

Os impactos socioeconômicos da covid-19 têm sido devastadores para inúmeros segmentos. inclusive para a área de transporte e logística. Nesse contexto, 79,8% das transportadoras estimam que as graves consequências dessa crise vão perdurar nos próximos meses, razão pela qual os gestores estão buscando alternativas para driblar esse cenário preocupante. 

Apesar do transporte ser visto como essencial para viabilizar as outras atividades, o panorama é crítico. De acordo com a pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), que foi realizada no mês de julho com 858 empresas de cargas e passageiros, 74,6% relataram a queda na procura pelos serviços, assim como 60,7% indicaram a redução no faturamento.

Em síntese, dentre os percalços que o setor de transporte e logística tem enfrentado desde o início da pandemia, capitaneados pela "diminuição drástica da demanda e do faturamento”, o órgão também apurou "grandes dificuldades para pagar obrigações rotineiras, como a folha de pagamento, parcelas de financiamentos, tributos e aluguéis”. 

Com isso, 41,8% dessas empresas declararam que a capacidade de pagamento está comprometida, ao passo que 34% delas recorreram ao crédito rotativo – uma das maiores taxas de juros do mercado –, para honrar os compromissos e complementar o fluxo de caixa. Em contrapartida, é imprescindível manter o padrão de qualidade nos serviços de transporte e logística, para assegurar a sustentabilidade dos negócios no pós-crise.


10 dicas para otimizar as operações em transporte e logística, contando com a gestão integrada de saúde

Conforme relatado, a conjuntura atual deixa cada vez mais clara a importância de evitar gastos desnecessários e mitigar riscos que podem prejudicar ainda mais a operação. Por outro lado, o cuidado contínuo para com os colaboradores é uma necessidade que não pode ser posta à margem ou sacrificada como forma de conter despesas, pois afeta a geração de valor.

Pensando nisso, a gestão integrada de saúde pode ser uma importante aliada tanto para zelar pelo bem-estar dos funcionários quanto para ajudar a reduzir os custos operacionais e, por conseguinte, atenuar certos efeitos da atual crise. 

A seguir, listamos dez dicas de como utilizar a gestão integrada de saúde a favor da sua companhia, para propiciar mais eficiência nas operações logísticas e, ainda, cuidar do capital humano:

  1. Reforçar a atenção primária, com iniciativas focadas na promoção e prevenção à saúde, que podem abranger até mesmo o suporte social e psicológico;

  2. Fomentar a atuação da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e estimular a participação das equipes na Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT); 

  3. Mapear os acidentes já ocorridos para mitigar os riscos que podem trazer agravos aos colaboradores e à empresa, mediante o diagnóstico criterioso da operação;

  4. Integrar os dados relativos à utilização do plano de saúde com as informações pertinentes à medicina do trabalho, para aprimorar as ações de saúde ocupacional;

  5. Acompanhar os desdobramentos das consequências do coronavírus na cadeia logística em escala global, para verificar a necessidade de implementar outras contingências;

  6. Gerar saving por intermédio do RH, corrigindo inconsistências cadastrais que podem levar a custos desnecessários no orçamento de benefícios, a exemplo dos pagamentos duplicados;

  7. Criar campanhas de conscientização para os motoristas e demais funcionários, seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde para a prevenção do coronavírus; 

  8. Estudar quais são as funções que podem ser desempenhadas por meio de home office, tal como no caso da área comercial;

  9. Considerar o custo-benefício de disponibilizar benefícios flexíveis em alinhamento com os interesses, as necessidades e o estilo de vida dos colaboradores; 

  10. Valorizar o quadro funcional com pacotes de benefícios atrativos, que podem incluir os seguros de Saúde, Odonto e Vida.

Para complementar essas dicas, vale conferir o artigo do Sebrae, com ênfase em promover o desenvolvimento organizacional e resguardar os profissionais de transporte e logística durante a pandemia. Por falar nisso, veja também o parecer do Dr. Drauzio Varella sobre como a saúde e a segurança no trabalho podem alavancar a produtividade.


RH estratégico no setor de
transporte e logística 

Sem dúvida, a área de Recursos Humanos desempenha um papel fundamental para o crescimento sustentado dos negócios - e não seria diferente nas operações logísticas. Logo, em face das inúmeras atribuições que podem gerar sobrecarga na equipe, como encontrar tempo para gerar saving, motivar os colaboradores e reter talentos?

Nessa perspectiva, os gestores costumam questionar, em primeira instância: como reduzir custos em transporte e logística? Certamente, é essencial investir em automação de processos, roteirizar as cargas e monitorar os indicadores de desempenho, entre outros aspectos. Contudo, é preciso ter em mente que o principal ativo de uma organização é justamente o capital humano, daí a relevância da gestão estratégica de RH. 

Segundo Gustavo Quintão, Vice-presidente de Saúde & Benefícios da MDS Brasil, "mesmo com as dificuldades econômico-financeiras impostas pela crise do coronavírus, não podemos nos descuidar das iniciativas focadas na atenção primária em saúde. Isto posto, é imprescindível olhar para as pessoas, se quisermos contar com seu engajamento em prol da melhoria dos resultados”. 

Para o executivo, "uma vez que os planos de saúde representam um dos maiores gastos corporativos, essa é uma excelente oportunidade para revisitar o portfólio de benefícios e saúde, de forma holística, em busca de alívio financeiro nesse momento de turbulência que estamos vivenciando mundialmente”.

Aliás, confira algumas das vantagens de contar com as soluções da gestão integrada de serviços de saúde da MDS para potencializar os resultados do segmento de transporte e logística:



Gestão de saúde

Programa de gestão de saúde voltado para equilibrar os investimentos e a qualidade de vida do público interno:

  • Análises de riscos, indicadores e redes de prestadores;

  • Campanhas de promoção à saúde; 

  • Gestão da sinistralidade e dos casos críticos;

  • Epidemiologia por especialidade e predição em saúde;

  • Auditoria e monitoria das respectivas contas para controle de custos;

  • Gerenciamento das internações de longa permanência;

  • Soluções focadas no uso racional do convênio médico;

  • Ambulatório com a devida coordenação do atendimento;

  • Diagnóstico e redesenho do modelo de saúde.



Gestão de benefícios

Política eficiente de gestão de benefícios, visando cuidar das pessoas:

  • Soluções tailor-made para o perfil de cada empresa; 

  • Padronização dos processos e personalização de relatórios;

  • Otimização cadastral para eliminar inconsistências e duplicidades;

  • Agilidade no atendimento, propiciando mais tempo hábil para a equipe de RH focar na estratégia;

  • Agrega valor à marca com o benefício do plano de saúde, que é valorizado por 90% dos funcionários;

E muito mais! 

Enfim, quer saber mais sobre como como gerir uma empresa de transporte e logística de modo assertivo? Fale com um especialista e acesse mais conteúdos do nosso Blog, que são especialmente desenvolvidos para te ajudar a otimizar as operações, valorizar o público interno e, ao mesmo tempo, reduzir custos.


#MDSBrasil #GestaoDeSaude #RecursosHumanos #Logistica




Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso. Saiba mais

Compreendi