voltar

TRANSFORMAÇÕES NO MERCADO DE EVENTOS: ENTENDA A SITUAÇÃO DE UM DOS SETORES MAIS AFETADOS PELA CRISE DO CORONAVÍRUS

21.09.2020
Panorama Eventos MDS

Antes de seguir com essa leitura e mergulhar em uma profunda análise dos Eventos, que tal conferir uma novidade da MDS diretamente ligada ao segmento?

Somos a corretora oficial da Road Tour Experience! Inédita, esta atração traz o tema Vilanova e os viajantes do Espaço e convida espectadores de todas as idades a transitarem pelo espaço sideral, entre galáxias e planetas nunca antes visitados pelo homem - e o melhor: sem sequer sair de dentro do automóvel. Esta experiência é possível graças a uma combinação de tecnologias audiovisuais e técnicas teatrais e cinematográficas. Tudo pensado para transformar os automóveis dos visitantes em verdadeiras naves espaciais com destino a uma viagem cheia de realismo.

Especialista em seguro de Responsabilidade Civil Eventos, a MDS Brasil dará respaldo a todos os visitantes e profissionais do começo ao fim da atração.

Para saber mais, acesse o site da Road Tour Experience.




O Brasil conta com dezenas de subsegmentos inseridos na macro indústria de Eventos:  infraestrutura, alimentação, segurança, limpeza, logística, equipamentos, operações administrativas, divulgação, marketing, entre outros. Cada um desses subsegmentos são potenciais  geradores de empregos, receita e encargos para o país, contudo, foram fortemente afetados pela pandemia da
covid-19.

Para se ter uma ideia da robustez do mercado nacional de Eventos, dados da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC) anteriores ao surto viral mostravam que o setor era responsável por 25 milhões de empregos formais e pela injeção de R$ 305 bilhões na economia. Uma pesquisa realizada pela União Brasileira dos Promotores de Feiras (UBRAFE), em parceria com a New Sense, mostra que, somente em São Paulo, cada R$ 1,00 investido por empresas em eventos corporativos gera R$ 35,00 em vendas para a expositora. 

E, em meio a tantas dificuldades causadas pela crise pandêmica, o setor de Eventos foi parcialmente engessado em prol do distanciamento social. A medida foi aplicada em todo o mundo para evitar novas infecções pelo coronavírus e resultou no adiamento de eventos de grande magnitude, como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio. O panorama é desafiador.

Ainda precisamos considerar as particularidades operacionais deste nicho. Muito além da expectativa de faturamento ‒ frustrada com a parada temporária das atividades ‒, as empresas de Eventos já estão tendo de arcar com prejuízos dos investimentos prévios necessários para a realização de feiras, congressos, festivais, cerimônias e shows.

Isso acontece porque atividades dessa natureza podem levar meses (ou anos) para sua organização e, consequentemente, requerem assinaturas de diversos contratos com fornecedores, prestadores de serviços, locação de espaços, aquisição de passagens aéreas e tantos outros preparativos que demandam investimentos adiantados. Em poucas palavras, a covid-19 trouxe uma série de imprevistos à receita do setor por causa dos adiamentos e até cancelamentos de eventos em seu formato tradicional.

Por outro lado, é reconfortante saber que a solidariedade continua em voga, a exemplo do coletivo Salve Produção. A proposta visa arrecadar doações para profissionais do setor que tiveram a renda comprometida em decorrência dessa emergência sanitária, bem como se propõe a "repensar, debater e se fortalecer como classe”, gerando assim novas oportunidades.

O futuro dos eventos está em jogo?

Até o momento, a retomada de grandes eventos no país é incerta. O segundo semestre de 2020 se iniciou com números expressivos de novos infectados e vítimas fatais do coronavírus pelo Brasil e, mesmo com o surpreendente adiantamento dos testes das vacinas em estudo, ainda é difícil fazer projeções seguras. Entretanto, começam a surgir sinais de retomada, como na liberação dos encontros de negócios no Rio de Janeiro.

Mesmo assim, o que pudemos observar ao longo dos meses de pandemia foi uma adaptação rápida e necessária de alguns modelos de eventos. De acordo com um levantamento realizado pela Eventbrite, houve um crescimento global de 2.000% nos eventos digitais de sua plataforma somente durante o mês de abril de 2020. Considerando o escopo de eventos estritamente corporativos, a empresa registrou um aumento de 1.100% entre abril de 2019 e abril de 2020.

Em tempo: lutas e partidas esportivas já ocorrem sem a presença da plateia e muitas agendas corporativas e grandes eventos de entretenimento conseguiram migrar temporariamente – e com sucesso – para o ambiente digital, na forma de lives e webinars. Há ainda adaptações que estão revivendo o entretenimento à moda antiga, como shows e exibições estruturadas no modelo drive-in, agora repaginando para tempos de pandemia.

Aqui mesmo na MDS, estamos apostando em respostas criativas para elaborar, transmitir e prestar suporte a eventos importantes considerando os paradigmas desse novo cenário, tais como:

Por falar nisso, também nos inspiramos pelas boas práticas do mercado, incluindo os insights da líder da Associação de Marketing Profissional para o Rio de Janeiro (AMPRO), Izabel Barbosa. Para ela, "a pandemia, além de estar nos transformando profundamente, traz oportunidades sem precedentes, entre elas a de experimentar novos formatos”. 

A propósito, todas essas adaptações também demandam cuidados específicos, que implicam em uma série de responsabilidades por parte dos organizadores junto aos envolvidos na execução e na transmissão dos eventos online. Pensando neste novo momento e com o background em Responsabilidade Civil Para Eventos de todos os segmentos, a MDS tem a experiência necessária para assegurar diferentes modelos e formatos de eventos.

Além de termos atuado em grandes acontecimentos, como Baile Vogue, Rock in Rio 30 Anos, Jornada Mundial da Juventude, Oktoberfest São Paulo e Jogos Olímpicos Rio 2016, nos reinventamos conforme a demanda do mercado e oferecemos soluções para as equipes reduzidas que atuam na produção e transmissão de eventos digitais.

Aliás, recentemente, asseguramos o set de filmagem para evitar imprevistos na gravação do Prêmio Casa Vogue Design 2020, que contou com a presença dos artistas Erika Januza e Jonathan Haagensen. Tendo a parceria da MDS como a corretora de seguros oficial, essa cerimônia digital aconteceu em um showroom automotivo, com transmissão pela High End Experience.

Dessa forma, levando em conta as necessidades e padrões do setor, a apólice elaborada para a Responsabilidade Civil Para Eventos abrange coberturas protetivas que viabilizam a sustentabilidade da operação da empresa e dá respaldo aos frequentadores dos evento em casos de danos materiais, corporais e morais causados involuntariamente a terceiros.

Entre em contato com a nossa equipe e saiba como podemos mitigar os riscos que ameaçam a continuidade dos negócios de Eventos durante a pandemia. Conte conosco para  avaliar as perspectivas de retomada e respaldar suas atividades frente às novas restrições impostas neste "novo normal”. 

E não deixe de acompanhar o Blog da MDS, assim como as páginas no LinkedIn, Facebook e Instagram para saber em primeira mão sobre as nossas iniciativas, soluções e tendências para proteger seus negócios em tempos tão desafiadores.  


#MDSBrasil SeguroRC #Eventos #Events #ResponsabilidadeCivil #Seguros #Insurance #Corporate


Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso. Saiba mais

Compreendi