voltar

SAIBA COMO SE PROTEGER DE SEQUESTROS E EXTORSÕES

18.02.2020
Seguro Sequestro MDS Group
No Brasil, em 25 de setembro de 2019, a polícia da cidade de São Paulo prendeu três suspeitos ligados ao sequestro de um gerente de uma joalheria na cidade. A vítima foi forçada a vestir um colete com supostos explosivos e, em seguida, foi obrigada a acessar o cofre da loja  e encher duas malas com jóias no valor de aproximadamente R$ 840 mil. Na Colômbia, no dia 26 de setembro do mesmo ano, a polícia da cidade de Cali resgatou um empresário do Equador que estava sendo mantido em cativeiro por cerca de uma semana. Os sequestradores chegaram a solicitar uma quantia de quase R$ 630 mil para libertar a vítima. Já na Bolívia, no dia 4 de outubro, um empresário foi sequestrado à noite, na cidade de  Santa Cruz, e mantido em cárcere por um dia. O valor de resgate exigido foi de cerca de R$ 1,5 mi. E no México os índices também são alarmantes: a organização "Semaforo Delictivo” reportou que, no terceiro trimestre de 2019, na cidade do México, o número de crimes de extorsão relatados aumentou 63%.

Os incidentes acima, registrados na América Latina, são fragmentos do KRE - Kidnaps, Ransoms and Extortions – um relatório global da Brokerslink (C.H. Toro International) que descreve as mais graves ocorrências mensais de sequestro contabilizadas em todas as regiões do planeta. Os casos documentados pela companhia reforçam algo que já está evidente: o sequestro continua a ser uma ameaça real em várias partes do mundo e afeta, principalmente, executivos do alto escalão ou donos de grandes patrimônios. Em geral, fortuna e influência transformam pessoas em alvos de criminosos cautelosos e calculistas.

Uma matéria do Tudo Sobre Seguros também demonstra o quanto este tipo de crime é frequente nos países vizinhos do Brasil: segundo o site, a América Latina é a região com o maior índice de ocorrências de sequestro, contabilizando cerca de 7.500 casos por ano, sem contar sequestros relâmpago ou tentativas que não chegam ao conhecimento das autoridades. E mais: conforme o portal americano de notícias Thrillist, o Brasil ocupa a terceira posição no ranking de países mais suscetíveis a este tipo de crime, atrás apenas do México e do Haiti. Em solo brasileiro, a maioria dos ataques desta natureza estão relacionados a extorsão.


Prevenir e remediar: opção de proteção disponíveis no mercado

Em geral, os sequestradores tendem a se antecipar e estudar os hábitos de seus alvos a fim de identificar seus principais pontos de vulnerabilidade ‒ horários, ambientes que frequentam, momentos em que estão sozinhos ou em situações de pouca exposição, entre outras variáveis. Então, como se defender de circunstâncias tão premeditadas? Com o objetivo de reduzir e mitigar este tipo de atentado, foi criado o S&R, um seguro que reforça a proteção contra sequestros e, caso necessário, ajuda a reverter as consequências do crime. "Esta é uma solução extremamente eficaz para prevenir ou contornar os impactos físicos, emocionais, morais e materiais que estas ameaças podem causar. Não por acaso, o número de executivos e empresários que adquirem este produto cresce a cada ano”, explica Thiago Tristão, Vice-presidente de Riscos Corporativos e Resseguro da MDS Brasil.

O produto, no entanto, ainda é considerado um tabu: autoridades temem que sua comercialização atraia fraudes e fomente ainda mais a ocorrência de sequestros. "A preocupação é que criminosos tomem conhecimento da contratação deste tipo de seguro e passem a fazer mais vítimas para que tenham acesso aos valores de resgate previstos em suas apólices”, comenta Thiago. Mas, embora válida, esta preocupação não deve ser encarada como argumento para inibir a comercialização do S&R. "Suspender este produto seria o mesmo que reduzir as chances de desfechos positivos para estes casos”, esclarece o executivo. Na MDS, este serviço é tratado pessoalmente pelo Vice-Presidente da companhia, e sua contratação ocorre em caráter de sigilo absoluto.


Como funciona?

O Seguro S&R foi criado com base na expertise de grandes agências mundiais de inteligência e traz coberturas e processos que vão muito além da ocorrência do sequestro e da indenização. A figura do mediador, por exemplo, é um dos detalhes que tornam as situações de sequestro possíveis de serem solucionadas: "o mediador é um especialista em crises responsável por dar assistência ao processo de negociação. Ele é treinado para lidar com momentos críticos de espera, estresse, tensão e terror. Atua como um ponto de equilíbrio entre as duas partes e, quando necessário, coordena resgates e lidera a liberação das vítimas para que cada situação se encaminhe para o melhor desfecho possível”, detalha o Vice-Presidente.

A opção de S&R comercializada pela MDS traz coberturas completas e globalizadas. "Nosso produto conta com uma capilaridade que transpõe barrreiras geográficas e tem uma política abrangente exclusiva para parceiros e afiliados Brokerslink, com benefícios inigualáveis”, destaca Thiago. 

Entre as principais coberturas, destacam-se: 

  • Sequestro
  • Sequestro relâmpago
  • Extorsão 
  • Extorsão cibernética
  • Eventos de ameaça
  • Rapto de crianças
  • Detenção injusta
  • Agressão
  • Crises relacionadas a reféns

E a fim de proteger as perdas, o produto oferece:

  • Dinheiro de resgate / extorsão
  • Custos de consultores de crise
  • Acidentes Pessoais
  • Responsabilidade legal
  • Despesas adicionais (consultoria jurídica, forense, médica e recuperação, segurança, remuneração, viagem)
  • Salário das vítimas
E muito mais. 


Entre em contato conosco para conhecer os detalhes e condições desta proteção. Nos acompanhe também no LinkedIn, Facebook e Instagram.


Fontes:

Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso. Saiba mais

Compreendi