Seguro de animais garante prevenção de riscos para altos investimentos

Seguro de animais garante prevenção de riscos para altos investimentos

Seguro de animais garante prevenção de riscos para altos investimentos

Os esportes com animais são práticas muito valorizadas não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Além de ser atrativo para quem acompanha, esportes como o hipismo – baseado inteiramente no trato com o cavalo – costumam gerar uma relevante movimentação financeira com patrocínios e eventos para aficionados, sem contar os investimentos para garantir a boa saúde e excelente performance dos animais.

Porém, como toda prática de alta categoria esportiva, os esportes com animais também têm seus riscos. Em junho deste ano, por exemplo, morreu o garanhão Equador Santa Edwiges, depois de se tornar o mais caro cavalo de raça crioula do Brasil. O animal teve um desconforto abdominal e não resistiu. Em maio, Equador havia sido vendido em leilão por R$ 6,97 milhões a 21 investidores. O cavalo era pai de campeões, vencedores de grandes concursos. A fatalidade mostra que, mesmo entre animais criados nos mais altos níveis de qualidade e atenção, o risco é uma realidade presente e, por vezes, quase impossível de ser prevista.

O que o seguro de animais cobre

Por isso, o seguro de animais é cada vez mais comum, destinado principalmente aos equinos, asininos e muares. A cobertura garante indenização em caso de morte do animal. É importante atentar-se às características do plano contratado: alguns deles podem cobrir doenças infecciosas, parasitárias e orgânicas, acidentes involuntários, eletrocussão, envenenamento, intoxicação, sufocamento e até morte em decorrência de parto ou aborto.

Contratar o seguro de animais é estar sempre preparado e resguardar os investimentos realizados para que, desta forma, ninguém saia perdendo e o setor possa permanecer assegurado e continuar a crescer.