Prevenção pode ser a chave para enfrentamento da crise

Prevenção pode ser a chave para enfrentamento da crise

Prevenção pode ser a chave para enfrentamento da crise

Situações de crise econômica podem ser traumáticas para os mercados, mas têm potencial de se transformarem em terreno fértil para mudanças de comportamento, soluções inovadoras e incremento na educação financeira. Um dos resultados mais imediatos da crise – a inadimplência – já mostra aumento entre as empresas. Soluções de precaução diante de cenários como esse já são usadas em países desenvolvidos há cerca de um século, mas no Brasil ainda não se tornaram regra.

É o caso do seguro de crédito – usado para proteger ativos a receber. Essa modalidade só chegou a terras brasileiras em 1998, trazida por multinacionais que já tinham a prevenção a possíveis calotes como hábito. Sem essa proteção o risco de inadimplência em efeito dominó aumenta. Empresas que não recebem pode também deixar de pagar e a contaminação do mercado se torna inevitável.

É aí que entra o seguro. Além da proteção contra calotes, ele muda a imagem da empresa diante do mercado. Seguradas, as companhias conseguem financiamentos a taxas menores e com limites maiores, alavancam as vendas – limitadas pela falta de crédito – e passam a se preocupar menos com a possibilidade de não pagamento e mais com o crescimento do próprio negócio.

Apesar da cultura de prevenção ainda ser novidade no Brasil, o potencial de crescimento é muito grande. Principalmente diante do fato de que entre 30 e 40% dos ativos das companhias são recebíveis. Recentemente a maior corretora de seguro de crédito do mundo – a francesa AU – entrou no país, em parceria com a multinacional MDS Insure Brasil.

As perspectivas de agravamento de uma crise, que já causa estragos consideráveis, são um alerta a mais. Optar pelo seguro de crédito hoje no Brasil pode ajudar a incrementar o valor de uma empresa, tanto no mercado interno quanto para exportações. Mas acima de tudo, esse movimento pode ser uma questão de sobrevivência frente a um cenário incerto.

Deixe um comentário