Blog : Seguros Pessoais

Plano de previdência privada é atrativo para colaboradores e empresas

Plano de previdência privada é atrativo para colaboradores e empresas

A previdência tem sido um dos assuntos de maior destaque nos últimos tempos por conta das discussões sobre alterações relacionadas ao tema na esfera pública, visando principalmente uma aposentadoria tranquila, ou seja, o seu objetivo a longo prazo. Consequentemente, a previdência privada também entrou em evidência, seja por parte das pessoas que procuram fontes complementares de garantia de renda futura, seja  pelas  empresas que buscam oferecer esse benefício como atrativo aos seus funcionários, gerando valor para eles e seus colaboradores.

Facilidades para funcionários e empresas

Para os trabalhadores, a previdência privada é uma excelente maneira de proteção  complementar para quem procura independência financeira a longo prazo e não depender das decisões do governo.

Para a empresa,  acrescentar esse produto em sua cesta de benefícios demonstra preocupação com o futuro do colaborador. Na maioria dos casos,  as contribuições do trabalhador para adquirir um plano de previdência privada pela empresa não passa de 6% da remuneração, ou também existem formatos de contribuição fixa (um mesmo valor todo mês). A forma de contribuição, dependerá  da forma contratada e escolhida pela empresa Além do modelo de contribuição definida (valor fixo de contribuição e determinação do valor de benefício no momento da aposentadoria), existe o modelo de benefício definido. Nele, o valor da aposentadoria é fixo e as contribuições são variáveis para que o montante seja atingido no momento de se aposentar. Há ainda o programa de contribuição variável, uma mistura das duas modalidades anteriores.

Previdência privada aberta e fechada

As empresas podem optar por oferecer o benefício de duas formas: previdência privada aberta ou fechada. No modelo de previdência aberta, encontramos os planos que- ofertados pelas entidades de Previdência complementar aberta, podendo ser estipulados por pessoas físicas ou empresas.

Já no modelo de previdência fechada (também chamada de Fundos de Pensão) consiste em  planos desenhados especificamente para cada empresa, contendo regras, normas e legislações diferenciadas, sendo que somente podem ser ofertados para aqueles vinculados a Patrocinadora do contrato,  modelo conta com um órgão regulador das atividades para que tanto a empresa quanto os funcionários não sofram com fraudes de nenhuma natureza.

Seguro de Vida: quem tem direito e como proceder para receber a indenização

Seguro de Vida: quem tem direito e como proceder para receber a indenização

O Seguro de Vida está entre as modalidades de cobertura mais conhecidas do mercado, e, no Brasil, costuma ser oferecido como benefício das empresas contratantes para seus funcionários. Porém, mesmo que o interessado não tenha nenhum vínculo empregatício, ele pode buscar  a contratação deste seguro por conta própria, a fim de garantir seu bem-estar e a manutenção de seu padrão de vida, de sua família e demais dependentes em caso de invalidez, doença grave ou mesmo morte.

Na maioria dos casos, o próprio segurado costuma indicar quem serão as pessoas beneficiárias do seguro que contratou de forma independente. Se não indicar ninguém para receber a indenização em caso de sinistro, aplica-se o artigo 792 do Código Civil, prevendo a divisão do valor total em 50% para o cônjuge legal e outros 50% para os herdeiros legais.

Na ausência de herdeiros ou cônjuge, serão beneficiados com a indenização aqueles que provarem que o falecido (ou inválido) era a fonte de renda e dos demais meios de subsistência. Importante: caso o segurado seja separado e queira  indicar o cônjuge atual, deve ser separado judicialmente ou de fato (conforme Art. 793 – Código Civil 2002).

Um questionamento comum, principalmente para os segurados que são herdeiros legais, é se a indenização faz parte da herança. A resposta é: não. O montante da indenização (capital segurado) também não está sujeito a possíveis dívidas (artigo 794 do Código Civil) e nem existe incidência de imposto de renda sobre o valor (Lei 7.713/88, – Decreto 3.000/99), ou seja, o valor da indenização é algo mais tangível e seguro para os beneficiários, já que permite a preservação do padrão de vida.

Outro detalhe importante: só terá direito a receber a indenização os beneficiários que tiverem em mãos todos os documentos necessários, a serem entregues dentro do prazo estipulado previamente. Essas e outras informações sobre o seguro de vida são descritas na apólice de seguro. Nos casos de contratos de Vida em grupo, você as encontrará no certificado do seguro, documento primordial para dar início ao processo de recebimento dos valores junto à seguradora ou banco em que o mesmo foi contratado.

Para abertura do aviso de sinistro, os documentos comuns a serem encaminhados são:

  • formulário de abertura de sinistro da seguradora devidamente preenchido
  • atestado de óbito ou laudo
  • certidão de nascimento do segurado
  • documentos originais de identidade
  • CPF
  • comprovante de residência

Com os documentos entregues, a seguradora tem 30 dias para realizar o pagamento. A seguradora pode solicitar documentos faltantes ou esclarecimentos adicionais, e até a entrega dos mesmos o prazo para pagamento de sinistro fica suspenso. Após cumpridos todos os requisitos, o valor da indenização será atualizado de acordo com a correção monetária, se houver atraso.

SEGURO RESIDENCIAL. O PERFIL DO CLIENTE FAZ A DIFERENÇA?

SEGURO RESIDENCIAL. O PERFIL DO CLIENTE FAZ A DIFERENÇA?

Ao contrário do que muita gente pensa, a escolha do seguro residencial também deve levar em conta o perfil do cliente.

Diferente do seguro de automóvel, o custo do seguro residencial não é influenciado por fatores como idade, histórico ou forma de uso. Mas o perfil do segurado é muito importante na hora de definir qual é a melhor opção de apólice, cobertura, seguradora e serviços agregados para cada cliente.

Um jovem que vive num apartamento repleto de eletrônicos pode querer incluí-los na apólice, protegendo não só o imóvel mas também o conteúdo. Por outro lado, talvez não tenha interesse nos serviços de manutenção oferecidos pelas seguradoras.

Já para uma família que vive numa casa, o diferencial mais relevante talvez seja a oferta de serviços de encanamento, limpeza de calhas, caixa-d’água e pequenos reparos.

Além disso, é importante considerar a sinergia entre os diferentes seguros que o cliente possui, uma vez que serviços agregados podem custar mais na apólice de automóvel que na residencial, por exemplo.

É por isso que, na hora de realizar uma cotação, o time MDS Brasil procura entender o estilo de vida e as intenções do segurado. Assim, é possível pesquisar dentre todas as opções disponíveis a que faz mais sentido para cada cliente.

É um trabalho que exige dedicação, grande conhecimento de mercado e atenção aos detalhes, mas garante que cada cliente MDS Brasil faça sempre a melhor escolha.

 

Fale com a MDS Brasil e faça a sua cotação.

 

Bradesco Seguros não oferecerá mais o DPEM a partir de 31 de março

Bradesco Seguros não oferecerá mais o DPEM a partir de 31 de março

Seguro obrigatório para embarcações: Bradesco Seguros não oferecerá mais o DPEM a partir de 31 de março

 

A Bradesco Seguros informou que deixará de comercializar o DPEM – seguro obrigatório de danos pessoais causados por embarcações ou por sua carga – a partir do dia 31 de março.

O seguro, que pode ser entendido como um espelho para embarcações do conhecido DPVAT, tem por finalidade oferecer cobertura aos danos pessoais causados por embarcações ou suas cargas.

Uma vez que a Bradesco Seguros é, hoje, a única seguradora que ainda oferece o seguro obrigatório, a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) criou uma comissão especial a fim de garantir a disponibilidade do produto num futuro próximo.

Especialistas do segmento estimam em mil o número de acidentes com danos a pessoas em 2015.