André Tostes: Quando os números contam uma história

André Tostes: Quando os números contam uma história

André Tostes: Quando os números contam uma história

Em 2009 André Tostes assumiu a área financeira da MDS Brasil e tem, desde então, desempenhado um papel central no desenvolvimento da empresa. Conversamos com André para saber mais sobre o seu percurso profissional, o que o levou a aceitar o projeto MDS e quais os desafios para o futuro.

André Tostes, CFO da MDS Brasil

Tradição familiar

A longa tradição de uma família de comerciantes fez com que desde muito novo André Tostes se interessasse pela dinâmica dos negócios. “Sempre me encantei com a ideia de saber como cada negócio gera dinheiro e como se sustenta financeiramente. Lembro‑me de ver os meus pais à volta dos números, incutindo‑me a mim e à minha irmã a importância da responsabilidade financeira”. A opção por Economia e Finanças aconteceu, por isso, de forma natural. No seu currículo conta com experiências profissionais em diferentes áreas, mas a oportunidade de trabalhar na BrasilPrev fez despertar o seu interesse pelo setor segurador, aliando‑o ao seu gosto pela gestão financeira. “Quando me deparei com o mercado de Previdência Privada, o meu primeiro contato com os seguros, era tudo novo, complexo e interessantíssimo! Temas como provisões matemáticas para mitigação de risco e ciências atuariais, planejamento plurianual para garantir a sustentabilidade do negócio de longo prazo, eram assuntos que me fascinavam. Além disso, a área de seguros é muito ampla e acabamos por nos envolver em vários tipos de negócios, o que é desafiador”, assegura.

O desafio da MDS Brasil

É em fevereiro de 2009 que André Tostes integra a equipa da MDS Brasil para assumir as áreas de Planejamento e Tesouraria. A MDS tinha acabado de adquirir duas grandes empresas no sul do Brasil e no Rio de Janeiro, uma operação que fez com que se tornasse um dos maiores players do mercado brasileiro. Com esta aquisição veio o desafio de unificar as empresas em termos de sistemas, processos, pessoas e cultura – o que André afirma ter sido uma oportunidade imperdível. “Quando recebi esta proposta os meus olhos brilharam! Foi um projeto único que me permitiu colocar em prática a minha experiência e participar na reestruturação da empresa, assim como conhecer outros produtos, uma vez que a MDS já possuía na altura uma ampla carteira e know‑how em vários segmentos da indústria”, recorda.

Hoje, passados sete anos, André afirma ter um grande orgulho naquilo que foi construído. Foi um longo processo que permitiu à MDS Brasil assumir uma posição diferenciadora no mercado e ser reconhecida por todos os stakeholders ‑ clientes, seguradores, acionistas, parceiros e sociedade – como uma empresa de referência na consultoria e corretagem de seguros.

Gerindo uma equipa de sucesso

O trabalho que desenvolveu ao longo destes anos levou à sua contínua progressão na empresa, sendo hoje responsável por uma equipe de 82 colaboradores. Perguntamos a André quais os fatores essenciais na gestão da sua equipa que têm permitido alcançar resultados positivos. “Ainda recordo as palavras do meu diretor na minha primeira experiência enquanto responsável por uma equipa: «agora és um gestor, queres ter sucesso? Contrata pessoas melhores que tu! Não tenhas medo!». Nunca me esqueci disso e, sempre que estou num processo de recrutamento, analiso os candidatos dessa maneira. Acredito que o sucesso está relacionado com as pessoas”, salienta.  Por outro lado, afirma que cada colaborador deve saber o seu papel dentro da empresa. “Não há gestão eficiente sem metas e objetivos claros, nem sem promover o espírito de equipa e a comunicação. Uma empresa não é feita de células independentes, mas sim de uma cadeia de processos interligados, onde cada colaborador tem a sua importância no resultado final. Sem isto, não há envolvimento e, consequentemente, não há inovação nem resultados positivos”, acredita. Por último, defende que as pessoas não devem agir apenas como colaboradores da empresa em que trabalham, mas também como “donos” da sua carreira. “Estimulo sempre a auto avaliação com a seguinte analogia: se a sua carreira fosse um prestador de serviços, que avaliação faria, enquanto cliente? Faço isto, porque na minha experiência descobri que pessoas que se «escoram» no emprego por norma não têm futuro na organização, pois não possuem o entusiasmo necessário para a evoluir de forma positiva e produtiva”.

Crescer na adversidade

O Brasil está a viver uma das suas maiores crises político‑econômicas, com grande impacto na indústria, comércio e serviços. O PIB brasileiro recuou 3,6% em 2015 e em 2016 teve uma retração na ordem dos 3%. O desemprego ronda os 12% o que representa quase 12 milhões de desempregados. Crescer neste panorama é um enorme desafio. Mas a história é a prova viva de que em momentos difíceis surgem também oportunidades: “O que vemos no Brasil é uma movimentação das empresas para conseguirem obter ganhos de eficiência e ajustes nos custos que permitam minimizar os efeitos de perda de receita. Os clientes querem soluções que, para além da proteção do seu risco, os ajudem na redução de custos e otimizem os seus processos. Por isso, estamos cada vez mais próximos dos nossos clientes e prospects para oferecermos as soluções que vão de encontro às suas necessidades”. A MDS Brasil tem‑se focado no desenvolvimento de alguns produtos específicos, tais como seguros de crédito e de responsabilidades (como Directors & Officers e Errors & Omissions). “O amplo know ‑how da MDS dá‑nos capacidade de diversificação de produtos que permitem a mitigação ou minimização de risco de perda de receita”, destaca. Mesmo neste quadro econômico, em 2016 a MDS Brasil manteve a sua trajetória de crescimento e André Tostes diz que para 2017 a previsão é de que esta tendência continue.

Perspectivas sobre o futuro do setor

Para Andrés Tostes é evidente a evolução e dinâmica do mercado segurador brasileiro, principalmente nos últimos dois anos, com uma maior profissionalização, influenciada pela exigência crescente dos clientes que procuram mais do que um simples seguro. André acredita que a tecnologia terá um papel predominante na indústria seguradora: “Para os clientes empresariais, acredito que o futuro incluirá o uso crescente de plataformas tecnológicas que agreguem todos os serviços e informações, trazendo benefícios financeiros e operacionais para o cliente, desde a automação de processos, absorção de algumas atividades e serviços de prevenção de fraudes, riscos do negócio e, consequentemente, reduzir sinistros. Já no segmento de clientes particulares, considero que há uma pressão cada vez mais forte no sentido da venda direta de seguros através de uma plataforma digital”. Por outro lado, destaca ainda que a tendência de utilização de veículos autônomos transformará as condições atuais dos seguros de casco e de responsabilidade civil pelas situações que possam surgir. No que diz respeito ao papel do corretor, André é perentório: “É de realçar a importância do corretor tanto para oferecer as melhores opções de coberturas de risco de acordo com as necessidades de cada cliente como, em caso de sinistro, para intervir na defesa dos seus interesses e na expedita resolução do processo”.

“Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade”

É nestas palavras do poeta Carlos Drummond de Andrade que André vai buscar inspiração para o seu dia a dia. De ascendência portuguesa e italiana, André Tostes tem na sua essência características e valores típicos destas culturas: a família tem um papel central na sua vida e “não dispensa o convívio familiar e os momentos de brincadeira com os filhos”. Para além disso, tem a boa disposição típica dos povos latinos e a paixão pela comida, “o problema depois é manter a linha”, partilha com humor. Nos tempos livres gosta de praticar surf e o futebol é presença assídua na sua vida. Da época em que foi atleta federado de futebol de salão diz ter retirado ensinamentos que ainda hoje se refletem na sua vida profissional, como o trabalho de equipa e a dedicação que é necessária para se obter resultados. A música assume também uma especial importância para si, de tal forma que chegou a integrar uma banda. Hoje encontra na música uma forma de relaxar e um dos seus hobbies é tocar guitarra. Questionado sobre os seus projetos para o futuro, André Tostes salienta: “espero continuar dar o meu contributo para que a MDS mantenha o seu reconhecimento de empresa de excelência e inovação no serviço e na relação com os seus clientes e parceiros”.