A VENDA ONLINE DE SEGUROS E OS DESAFIOS DA INTELIGÊNCIA DE NEGÓCIO

A VENDA ONLINE DE SEGUROS E OS DESAFIOS DA INTELIGÊNCIA DE NEGÓCIO

A VENDA ONLINE DE SEGUROS E OS DESAFIOS DA INTELIGÊNCIA DE NEGÓCIO

A venda online de seguros é um assunto que tem ganhado cada vez mais pauta no setor e atraído interesses de empresas tradicionais, startups e investidores em todo o mundo. Até porque a migração da venda de soluções e serviços de todos os mercados para os canais online é um caminho natural, e comprar seguros pela internet já não parece uma ideia estranha para boa parte das pessoas.

No entanto, há uma diferença muito grande entre usar os meios digitais (sites, aplicativos e até redes sociais) como canais de cotação e vendas e realmente transformar a contração num processo digital de ponta a ponta, que seja capaz de oferecer transparência, eficiência, economia e segurança para o consumidor. E é no processo específico deste mercado e não no canal que estão os maiores desafios.

Hoje, diversas cotações de seguro já começam pelo online. Consumidores fazem buscas, fornecem informações básicas e conseguem receber cotações prévias e simplificadas. E não é difícil enxergar um cenário em que a grande maioria das contratações comecem assim e evoluam com um corretor entrando no meio do processo para melhorar negociações, esclarecer dúvidas via chat, e-mail canais digitais e organizar a troca de documentos digitalizados, usando assinaturas eletrônicas. O mercado está preparado para isso, já age assim em diversas ocasiões e as barreiras são relativamente pequenas para este modelo.

Mas o caminho entre este ponto e uma contratação eficiente e satisfatória realizada de forma automática e totalmente online, exigirá que o mercado quebre barreiras importantes e evolua consideravelmente.

Afinal, o processo de análise, avaliação, cotação e contratação de seguros é complexo e exige práticas de negócio, interações e análises de cenário que ainda não são facilmente automatizáveis. Para criar um processo de venda 100% online e automático, o mercado terá que aumentar consideravelmente a integração entre corretoras e seguradoras, e adotar práticas bastante avançadas de BI (Business Intelligence).

Segundo Cláudia Rizzo, gerente executiva de Operações Varejo da MDS, o desafio é justamente transferir a inteligência presente nas seguradoras para sistemas interativos, capazes de gerar o mesmo valor para o consumidor final.

“O grande desafio do mercado será a automação da inteligência de negócio presente nas corretoras. Afinal, no processo de intermediação entre seguradoras e clientes, as corretoras sempre agem para encontrar a melhor solução para ambos, num processo interativo, que tem embarcado o valor estratégico das corretoras, a experiência e conhecimento dos clientes e o relacionamento com as marcas e seguradoras. E o sistema de inteligência terá que se alimentar de tudo isso de forma contínua e em tempo real, além de ser parametrizado e ajustado continuamente para refletir as análises e recomendações que hoje são feitas por corretores de forma humana. É possível e os ganhos de escala são muito atraentes, mas os desafios não são triviais”.

Para o consumidor, esse futuro com contratações automáticas, gerenciadas por sistemas de inteligência de negócio alimentados e ajustados continuamente por times de corretores experientes, que gerem inputs de negociações e vantagens em tempo real, pode representar uma padronização maior do processo de contratação,  cotações mais ágeis e precisas sem a perda do valor estratégico aportado pelas corretoras.

Para as corretoras e seguradoras, é uma oportunidade de aumentar a eficiência, ganhar mais escala, aumentar a competitividade e romper definitivamente barreiras geográficas, atuando por meio 100% digital em locais onde não tem presença física.

A contratação de seguros online representa uma grande evolução para o mercado que pode e deve ser entendida de forma mais ampla e profunda do que simplesmente uma adaptação a um novo canal de vendas.

É uma nova forma de prestar o serviço de corretagem, um novo jeito de embarcar a inteligência, relacionamento e experiência das corretoras na contratação de seguros. É também uma ótima oportunidade de demonstrar o valor que as corretoras aportam ao processo de forma transparente para o cliente e para as seguradoras, aumentar a diferenciação entre os diferentes players do mercado e valorizar o segmento.